28/01/2012 - Documentário sobre a Laje.
Outras Notícias
Paraíso santista - por César Miranda.
Belezas da Laje de Santos serão registradas em documentário em produção.
             Pedra mágica. Santuário de reprodução de espécies marinhas. Paraíso dos mergulhadores. Não faltam palavras carinhosas para se referir à Laje de Santos. A partir de abril, quando for lançada uma inédita homenagem audiovisual, ganhará outro: Laje dos Sonhos.
             Em fase de gravações, o documentário, dirigido por Raquel Pellegrini, celebrará esse ponto de mergulho, situado a cerca de 42 quilômetros de Santos, porém mais distante da memória da maioria dos santistas.
             Com a proposta de uma linguagem contemplativa, o filme, de 52 minutos, exibirá a diversidade de fauna e flora no fundo do mar, além das aves marinhas que costumam aparecer no rochedo, de 550 metros de comprimento, com 33 m de altura e 185 m de largura, e cujo formato remete a uma imensa baleia.
             Com base em depoimentos de ambientalistas, biólogos, mergulhadores amadores e profissionais, o documentário - gravado em tecnologia full HD - irá mostrar também o encanto que o lugar provoca quando se pula na água.
             A ideia é mostrar a relação deles com a Laje e captar a fascinação quando se deparam com arraias, tartarugas, moréias, peixes multicoloridos e dezenas de tipos de corais, facilmente observados quando a visibilidade está entre 10 e 20 metros.
             Dedicação
             O documentário está em fase de produção. Serão 19 depoimentos. Um deles será do ator Odilon Wagner, que aprecia há alguns anos a vida marinha da Laje de Santos.
             O primeiro depoimento foi do instrutor de mergulho aposentado Clóvis Benno de Carvalho, um dos desbravadores da Pedra Mágica. “Há 10 anos, ele não mergulhava. Foi fantástico. Há muitos anos, ele pensou em transformar o espaço da Laje num ambiente para mergulhadores, e não apenas para pesca”, conta Raque.
             A dedicação ao filme é tão grande que a diretora convenceu a equipe a fazer um curso básico de mergulho para conseguir se familiarizar e “entender a fascinação” dos mergulhadores nos depoimentos.
             Experiente com a câmera na mão, mas iniciante com cilindros de oxigênio nas costas, Raquel caiu também nas águas cristalinas. A experiência já deixou uma sensação boa que ela não descarta ter novamente após as filmagens.
             “Mergulhar leva a uma introspecção diferente de qualquer experiência que podemos ter fora d'água. Lá embaixo, é muito bonito. É um outro conceito de universo”.
             Preservar é preciso
             Além da paixão pelo mergulho, o documentário irá abordar também a questão da importância da preservação. Apesar da legislação que proíbe atividades de pesca e caça naquela área de proteção ambiental, as infrações são constantes.
             “Infelizmente, ainda temos muitas denúncias”, ressalta a presidente do Instituto Laje Viva, Ana Paula Balboni Coelho.
             “A biodiversidade em torno da Laje é inacreditável perto do que existe no litoral brasileiro. Temos mais espécies aqui do que em Fernando de Noronha. São 196 espécies de peixes catalogadas. E de vez em quando avistamos alguns que não foram nem registrados ainda”.
http://www.atribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=133627&idDepartamento=12&idCategoria=43