CACHALOTE - Ensino e Pesquisa Subaquática
OUTROS ANIMAIS
PEIXES CARTILAGINOSOS - TUBARÃO

- A classe Chondrichthyes (grego Chondros, cartilagem + ichthys, peixe), também conhecida por Elasmosbranchii, é a dos peixes cartilaginosos. Cartilagem é o tecido elástico do nosso nariz e orelhas. Os peixes desta classe não possuem ossos verdadeiros, seu esqueleto é feito de cartilagem fracamente calcificada. Todos predadores, tem a pele rija coberta de pequenas escamas placóides. Também não possuem bexiga natatória, órgão membranoso que o animal enche e esvazia de gás (O2, N2 ou CO2) permitindo que seu corpo fique neutro na água, como o colete equilibrador de mergulho autônomo. Possuem de 5 a 7 fendas branquiais de cada lado da cabeça.
- Os três representantes vivos da classe são Tubarão, Raia e Quimera.
- A Quimera é um animal de grande profundidade, nos interessam o Tubarão e a Raia. Ambos costumam ter a companhia de duas espécies de peixes, o Piloto, que nada na frente ou ao lado da cabeça e a Rêmora, que através de uma ventosa dorsal se fixa indo de carona. A rêmora também se fixa em tartarugas, cetáceos e em cascos de barcos.
IDENTIFICAÇÃO
Superclasse - Peixes
Classe - Chondrichthyes (Cartilaginosos)
Subclasse - Selachii (Tubarão e raia)
Ordem - Squaliformes / Pleurotremata (TUBARÃO)
Ordem - Rajiformes / Hypotremata (RAIA)
Subclasse - Holocephali
Ordem - Chimaeriformes (QUIMERA)

TUBARÃO
- Quando ouvimos esta palavra logo imaginamos um terrível e implacável devorador que, ao ver um ser humano não hesita em atacá-lo até a morte. Porém, apesar do ceticismo popular, a realidade é totalmente diferente.
- É fusiforme e perfeitamente hidrodinâmico atingindo grandes velocidades. Espécies como o Mako e o Branco atingem até 70 km/h. A pele é acinzentada no dorso e esbranquisada no ventre. Possui a barbatana dorsal em forma de ponta de asa e o corpo revestido por pequenas escamas placóides dentadas que não se sobrepõe.
- Possui uma aguçada sensibilidade do meio. A visão, que é melhor que a do gato, focaliza objetos sete vezes melhor que um mergulhador. Sua linha lateral sente perfeitamente qualquer variação hidrostática. Seu órgão conhecido como Ampolas de Lorenzini, que têm os pontos de sensibilidade sob o focinho, são sensíveis a mínimas variações elétricas e magnéticas. Percebe a presença humana a enormes distâncias.
- Tem uma boca ventral com enorme mandíbula que pode conter, dependendo da espécie, de 10 (tubarão de 7 fendas) a mais de 100 (tubarão Baleia) dentes dispostos em 5 ou 6 fileiras. Quando ele perde um dente o de traz se desloca para a frente até tomar seu lugar. O tubarão troca de dentes com certa freqüência, são milhares os trocados durante sua vida. Algumas espécies típicas de regiões bentônicas possuem o corpo achatado como o caso do Tubarão Anjo. A maioria, 65% medem até 1,2 metros, 29% ficam entre 1,2 e 3,7 metros e apenas 6% medem mais que 3,7 metros. O macho se distingue da fêmea por possuir um par de apêndices copuladores formados por expansões de cada uma das suas barbatanas pélvicas.
- Suas nadadeiras secas são muito apreciadas no oriente. Os orientais são inclusive grandes responsáveis pela aniquilação da espécie, em grandes barcos matam uma quantidade enorme de tubarões só para retirar as nadadeiras, jogando o corpo sem condições de sobrevivência de volta ao mar, um absurdo de desperdício de recursos naturais.

CAÇÃO - TUBARÃO
- O que existe na nomenclatura é uma diferença regional, o animal que é chamado de cação no Sudeste / Sul, é conhecido como tubarão no Nordeste. Os pescadores costumam chamar de cação os pequenos tubarões inclusive havendo o lado psicológico da venda, é muito mais fácil vendê-lo chamando de cação. Um "cação" comum no nosso litoral e comercializado sem alarde, o Martelo, é um dos mais perigosos tubarões que existem. A realidade é que o animal é um só, principalmente se o avistamos na água, com certeza, independente do tamanho, vai ser sempre um tubarão.

ENCONTRO / ATAQUE
- É certo que o temor que temos de um ataque é exagerado, principalmente pela imagem que sempre nos foi passada pela imprensa e filmes. O da série Tubarão - de Spielberg, tinha até sentimento de vingança, uma coisa inadmissível em um peixe. Sempre se cultuou a idéia de um animal feroz, agressivo e que atacava por prazer. Lógico que temos que ter respeito e evitar o encontro mas, este ocorrendo não significa um ataque eminente. O risco entre mergulhadores é maior para caçadores submarinos que devido ao sangue do peixe arpoado estimulam os esqualos.
- O encontro com um tubarão certamente é algo inesquecível e vai causar um tremendo susto, só que este susto muitas vezes é recíproco, o animal muitas vezes vai fugir.
- Um cachorro ameaçado ataca mais, nem por isso deixamos de sair a rua com medo de um encontro com um, assim, não se deve deixar de mergulhar pelo fato de um dia poder se encontra um tubarão. A probabilidade de uma pessoa ser atacada é de 1 em 300 milhões e de vir a falecer devido a este ataque 1 em 1,5 bilhão, bem menor que ser abatido por um raio que é 1 em 1 milhão. Um dado comparativo é que animais como abelhas, cobras e porcos matam mais humanos que tubarões.
- Ataques de tubarões a mergulhadores são raríssimos. O tubarão não costuma atacar o ser humano e sim morde-o quando é incomodado, estimulado ou por engano. Mesmo após uma mordida normalmente a pessoa consegue se salvar, se o esqualo fosse assim tão abominável ficaria até palitar os dentes com os ossos. Os casos de morte que ocorrem costumam ser por hemorragia, perda de sangue. Além disso é importante frisar que os ataques costumam ser a surfistas e nadadores, além de haver regiões delimitadas em que ocorrem. Sabe-se que os ataques a surfistas se dão pelo animal confundi-los com tartaruga ou foca, pratos de seu cardápio. Por debaixo da água é esta a visão que se tem. O mesmo ocorre com nadadores ou pessoas na água se agitando.
- O risco de um ataque é maior para mergulhos no oceano Pacífico, mais da metade ocorreram na Austrália além de haverem vários casos na Califórnia - EUA. A África também é outro ponto de grande número de ataques. Existem estímulos que atrai os esqualos, dentro eles variações elétricas, variações mecânicas da água como explosões e sem dúvida o sangue.
- Além de seus dentes podem provocar graves escoriações sua pele, revestida de escamas cortantes, e sua barbatana.

PROCEDIMENTOS
- Se ele for visto antes do mergulho, aborte-o, pois a presença de um na água não é nada convidativo e, se for visto durante o mergulho procure ficar perto do costão ou do fundo e imóvel. O ideal é deixarmos os braços junto ao corpo e as pernas fechadas. Se o mergulhador já for para a imersão sabendo da existência de esqualos na região é conveniente levar um bastão comprido com uma ponta metálica para, no caso de aproximação cutucá-lo. O ideal, sem dúvida, é não frequentar lugares que tenham tubarões, a não ser em mergulhos específicos para isto com guia qualificado.
- Se ocorrer uma mordida a primeira providência é estancar o sangue, compressa para o tronco e torniqute para membros. Tomar analgésicos e liquidos, se tiver soro é melhor. Tudo vai depender da mordida e consequêntemente da perda de sangue.
- Uma espécie de mergulho que está se difundindo muito é a do mergulho com tubarões. Mergulhadores ficam em um círculo enquanto o guia, no centro, alimenta tubarões. Apesar da atividade já ter sido apreciada por milhares de pessoas nunca se registrou nenhum ataque. Nem pense em fazer isso sozinho, se quiser experimentar contacte sua operadora.

ESPÉCIES PERIGOSAS
- Somente poucas espécies são consideradas potencialmente perigosas. A principais são: Branco ou Anequim (Carcharodon carcharias), Tigre ou Tintureira (Galeocerdo cuvier), Cabeça Chata (Carcharhinus leucas), Mako (Isurus oxyrhinchus), Martelo (Sphyrna zygaena), Azul (Prionace glauca), Limão (Negaprion brevirostris) e Galha Branca (Carcharhinus longimanus).
- Destas o Branco é o mais temido, considerado o maior predador. Estas espécies costumam ter de 2 a 4 metros. Assim como temos espécies potencialmente perigosas também temos as inofensivas como o Marracho, Peregrino (até 10 metros de comprimento), Baleia (até 18 metros), Anjo e Lixa (Lambarú).
- O tubarão Baleia, assim como o Peregrino, é comedor de plânctom e pequenos organismos. Para quem não conhece sua pacividade é um verdadeiro monstro. Imagine encontrar um gigantesco tubarão com mais de 15 metros.

INIMIGOS
- Os inimigos naturais do tubarão que podem feri-lo ou até matá-lo são: Orca, Cachalote, grupo de Golfinhos, Crocodilo Marinho e Lula gigante, além é claro do homem.

IDENTIFICAÇÃO
Ordem - Squaliformes / Pleurotremata (TUBARÃO)
Principais Famílias
Orectobidae (Lambarú)
Alopiidae (Raposa)
Carchariidae (Mangona)
Isuridae (Branco / Mako)
Sphyrnidae (Martelo)
Carcharhiniidae (Azul / Galha Branca / Tigre)
Rhincontidae (Baleia)
Cetorhinidae (Peregrino)
Triakidae (Canejo)
Squalidae (Prego)
Squatinidae (Anjo)

OUTROS ANIMAIS