OUTROS ANIMAIS
CNIDÁRIOS (URTICANTES)

Dos animais relacionados, os mais inferiores são os do Filo Coelenterata (do grego Koilos, oco + enteron, intestino) ou Cnidária (do grego Knide, urtiga).
Podem ser pólipos ou medusas, possuindo tentáculos com células urticantes, os cnidócitos, que possuem no exterior um cílio sensível ao contacto (cnidocílio) e em seu interior uma cápsula arredondada (nematocisto) preenchida de líquido e com um tubo filiforme em forma de espinho. Quando uma presa esbarra no cnidócito, ele descarrega o nematocisto, projetando para fora o tubo filiforme que penetra na presa injetando "Hipnotoxina", uma toxina com propriedades paralisantes. Após paralisar a presa o celenterado a traz até a boca, retraindo os tentáculos, e a digere.
São todos aquáticos e quando do contato com um ser humano provoca, devido aos sintomas, uma sensação de "queimadura". São divididos em Cifozoário, Antozoário e Hidrozoário.

CUIDADOS / PROCEDIMENTO
Não devemos tocar em nenhum desses seres durante o mergulho, mas, se ocorrer o toque, podemos nos "queimar". Mesmo mortos eles continuam com poder de "queimadura". Cuidado ao levar os dedos aos olhos e boca.
Se houver contato e ocorrer intoxicação, devemos primeiramente verificar se resta na parte do corpo atingida restos de tentáculos. Se houverem, lavar o local com uma solução fraca de amônia ou bicarbonato. Na falta desses produtos deve-se usar para retirar os tentáculos a água do local, pois a água em variações de temperatura ou salinidade pode detonar os nematocistos que ainda estão fechados. Após a retirada de todos os tentáculos remanescentes devemos lavar constantemente o local atingido com água quente. Tomar analgésico e anti-histamínico (anti-alérgico) e repousar. Se o grau de intoxicação for grande, procurar ajuda médica imediata. A toxina provoca vermelhidão no local atingido, dores, comichão, incômodo, edema, bolhas, náuseas, câimbras e outras reações alérgicas, as vezes de grande intensidade. Dependendo do grau de intoxicação pode ocorrer distúrbio neurológio e estado de choque, que chegar até a ser fatal.
Qualquer roupa de neoprene protege contra estes animais, mas lembre-se sempre que há partes do corpo que estão expostas. Já levei "boas" queimaduras no pescoço e mãos.

1 - CIFOZOÁRIO / MEDUSAS
A classe Scyphozoa (do grego skyphos, taça + zoon, animal) compreende as conhecidas águas-vivas (ou medusas) que ficam a mercê das correntezas, podendo nadar fracamente através de contrações das faixas musculares do corpo, impulsionando por jato propulsão o animal em sentido contrário. Possuem corpo gelatinoso, fino e transparente, permitindo que sejam vistos os orgãos e estruturas internas. Normalmente em forma de "guarda chuva" tem a boca em uma projeção central na parte côncava, saindo de volta desta os tentáculos. São comuns em águas rasas próximas a costa. As que encontramos medem normalmente de 30 a 40 cm e são solitárias.

Quando encontramos uma, basta nos afastarmos vagarosamente e a admirarmos a distância.
Também podemos encontrar pequenas águas-vivas, quase imperceptíveis, que ficam em grande quantidade a uma pequena e estreita faixa de profundidade. Nós percebemos a presença quando começamos a sentir leves "queimaduras" nas partes do corpo expostas. É só afundarmos um pouco ou irmos a superfície para nos ver livres.

2 - ANTOZOÁRIO
A classe Anthozoa (grego Anthos, Flor + Zoon, animal) tem todos os seus representantes marinhos e engloba as anêmonas, corais pétreos, corais moles, corais negros e gorgônias. São pólipos, corpo em forma tubular, tendo uma extremidade fechada e outra aberta com a boca central rodeada por uma coroa de tentáculos, como uma flor.
2.1 ANÊMONA
Também chamada de Actínia, muito frequente em águas tropicais, é um grande e colorido pólipo único que pode-se movem muito lentamente, normalmente costumando se fixar em pedras ao nível da maré ou em carapaças de crustáceos (Simbiose / Mutualismo) através da sucção de seu disco basal.
Nos crustáceos é comum encontrá-la presa a concha usada pelo paguro (Ermitão). A anêmona, fixa na concha, aproveita os restos alimentares do paguro e afugenta os predadores do companheiro. Outro clássico exemplo de Simbiose / Mutualismo é entre ela e o peixe palhaço. Este, refugiando-se entre os tentáculos da anêmona, atrai peixes para ela. Beneficia-se alimentando-se de seus restos não aproveitados e tendo os ovos, que são depositados ao pé da anêmona, protegidos pelos tentáculos dela. Veja o Filme NEMO!!!!

Animal bonito e interessante, ao ter seus tentáculos tocados os retrai fechando-se. As que encontramos constumam ter de 5 a 10 cm de diâmetro. São de várias cores, mais comum em tom rosa, branco e pardo.
2.2 CORAIS
Os madreporários, que são conhecidos por corais pétreos ou corais verdadeiros, são compostos por uma colônia de pólipos, parecidos com anêmonas, cada um com sua abertura mas interligados na base do corpo. Absorvem o cálcio da água para formar um único esqueleto calcário (carbonato de cálcio) que fica por baixo da colônia. Este exoesqueleto rígido está sempre crescendo, numa velocidade baixa, e forma ao passar de centenas de anos os recifes de coral que chegam a aflorar formando barreiras e ilhas de coral. A maior construção biológica do planeta, a única construção que se pode ver da Lua além da grande muralha da China, é a barreira de coral da Austrália. Locais onde há corais não podem ser usados para ancoragem, pois a ancora ou garatéia destrói em segundos o que a natureza leva dezenas ou centenas de anos para construir.


3 - HIDROZOÁRIO
Na classe Hydrozoa (Hidro, água + zoon, animal), temos a hidra que vive em água doce e pólipos e medusas marinhos.
3.1 CARAVELA PORTUGUESA
A Physalia pelágica, conhecida como caravela, é muito perigosa. Difere das medusas pois ao invés de ser em forma de umbrela seu corpo é ovalado e de cor azul, violeta ou vermelho, medindo de 10 a 30 cm. Como o corpo é cheio de gás, fica boiando na superfície com seus longos tentáculos para baixo.
Devido ao comprimento de seus tentáculos que chegam a atingir mais de 10 metros e de possuir grandes e poderosos nematocistos, costuma causar em nadadores graves "queimaduras". Para o mergulhador basta ficar atento quando for cair na água ou retornar a superfície.
A Caravela na verdade não é apenas um animal, mas sim, uma colônia polifórmica de cerca de 1.000 organismos, sendo que estes organismos são especializados em determinadas funções, há uns para a natação (Nectozóides), outros para a digestão (Gastrozóides), outros para a captura de presas (Dactilozóides), outros para a flutuação (Pneumatóforos) e outros para a reprodução (Gonozóides).

3.2 MILLEPORA
Também conhecido como coral urticante ou coral de fogo, é uma colônia arborescente, comprida ou ramificada em forma de folha, que pode atingir 70 a 90 cm de altura, que fica presa ao substrato. É comum em recifes de coral até uma profundidade de 30 metros. As mais perigosas são a Millepora dichotoma do Indo-Pacífico e a Millepora alcicornis do Caribe.

IDENTIFICAÇÃO
Filo - Coelenterata
Classe - Scyphozoa (ÁGUA VIVA)
Classe - Hidrozoa (Hidrozoários)
Ordem - Siphonophora (CARAVELA)
Ordem - Hydrocorallina
Subordem - Milleporina (MILLEPORA)
Classe - Anthozoa
Subclasse - Zoantharia (Hexacorallia)
Ordem - Actiniaria
Subordem - Actiniaria (ANÊMONA)
Ordem - Madreporaria (CORAL PÉTREO)

OUTROS ANIMAIS